MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Novos Tablets no Mercado

Na semana passada foi anunciado o tão aguardando iPad 2, porem o que vimos em Seattle, WA não era o iPad fazendo tanto sucesso e sim o Kinect e o Inspiron Duo. Também havia o tablet da Asus mas o valor era bem maior que o iPad e o Duo.

 

O que foi possivel ver é que os tablets entraram forte agora no mercado e os notebooks estão se transformando. Ver o Ballmer andar de um lado pro outro no palco no Keynote com um destes tablets e depois falar e demonstrar o equipamento (era um Asus) deixou bem claro as escolhas do mercado profissional.

Como trabalho na Dell, posso falar sobre o lançamento da empresa nesta linha, o Inspiron Duo. O equipamento é fantástico !!!  Veja o video

Executando Windows 7 Home Premium e com a nova geraçao de processadores Intel Atom Dual Core, acompanha 2 GB de memória e um disco de 250 GB (note que de 7.200 RPM).

Equipamento Processador SO Memoria Vantagens Desvantagens Preço
Inspiron Duo Intel Atom Duo N520 Windows 7 Home Premium 2 GB RAM / 250 GB de disco (7200 RPM) É um note, com teclado e todos os recursos normais para trabalho A bateria é de 27W e pesa 1,5Kg.
Não possui 3G mas pode conectar com modem USB

R$ 1.899

U$ 549 (EUA)

iPad 2 ARM Apple A5 iPhone OS 4.3 16 a 64 GB Leve, bateria de aprox. 10 hr e 3G Não permite conexão com equipamentos de mercado, não tem teclado nem apoio para uso como estação de trabalho

R$ 1.599 (iPad 1)

U$ 499 (EUA)

E ai, ainda tem dúvidas de qual vai comprar?    No meu caso, com certeza escolheia o Duo, e posso dizer que não é tendenciosa !!!!

Ah, e o melhor. O Inspiron Duo já está a venda no Brasil http://www.dell.com.br/InspironDuo

Posted: mar 11 2011, 17:38 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Hardware | Outros

Intel vPro Segunda Geração

Em um webcast já havia comentado os recursos que o vPro agrega (clique aqui) mas agora temos novos recursos agregados a partir dos próximos processadores.

image    image

Vamos recapitular algumas informações. Como comentado no post anterior, alguns dos recursos do vPro são já velhos conhecidos como o Turbo Boost, Hyper-Threading e Intel VT para virtualização. Na primeira versão foram incluidos os recursos de KVM que permitem captura remota de tela, o AMT que permite manipular o BIOS da maquina a distancia e outros recursos.

A adição da segunda geração de recursos vPro estão nos processadores para Core i5 (Especificações) e Core i7 (Especificações). Segue um resumo destes novos recursos:

  • Intel® AES-NI (http://software.intel.com/en-us/articles/intel-advanced-encryption-standard-instructions-aes-ni/)
    Recurso que acelera processos de criptografia de dados, principalmente o BitLocker do Windows 7 e Windows 2008 R2.
    É um recurso transparente para o usuário, pois é realizado por softwares como o McAfee, Windows BitLocker e outros.
  • Intel® AT (http://antitheft.intel.com/welcome.aspx)
    Sigla de “Anti-Theft Technology” faz um mapeamento da localização fisica do computador, permitindo que se enviei uma instrução pela internet travando totalmente o computador. Isso inutiliza o equipamento, protegendo os dados sensiveis.
    Porem, é importante notar que será necessário ter um software especifico que tenha suporte a esta tecnologia. Veja no link do AT quais são os monitores e os modelos de computadores que possuem a tecnologia.
  • Intel® InTru™ 3D e Quick Sync Video (http://www.intel.com/technology/visualtechnology/index.htm)
    Novas tecnologias na placa de video onboard destes processadores com suporte a 3D embutido, alem de um acelerador gráfico potente que dispensaria o uso de placas offboard para realização de videos e trabalhos visuais.
    Não se trata de um recurso novo por sí só, mas acelera as funções da placa Intel HD embutida nesta geração de processadores.

Caso queira procurar em detalhes os processadores e os recursos disponiveis veja o link http://www.intel.com/products/core_vpro/index.htm com o resumo tanto das features que já existiam como as novas com muitos links detalhados.

Resumo: Com estes novos recursos a Intel consegue criar um processador quase que monolitico em termos de segurança e usabilidade. A placa de video onboard agora tem resolução e capacidade para manipulação de ambientes gráficos complexos. Os novos recursos são imagináveis apenas para softwares que podiam ser utilizados, porem em caso de formatação de nada adiantaria e agora estamos falando de travar o processador fisicamente inutilizando o equipamento, alem de permitir localizá-lo se integrado com o GPS do computador (quando disponivel).

Posted: mar 07 2011, 15:44 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Hardware

Removendo Project Server 2010 Applications no SharePoint 2010

Um erro comum é remover a Site Collection de um PWA sem fazer isso pelo gerenciador de aplicações. Normalmente quem incorre neste erro tem vários problemas depois, o PWA não abre mais e algumas vezes não é possivel criar novos PWAs.

Causa

Ao deletar a Site Collection diretamente foi removido o ponteiro na Web Application, porem para o serviço de dados do Project Server ainda consta um PWA com o banco de dados intacto.

Sintoma

Ao tentar agora deletar corretamente pelo “Manage Service Applications” ocorre o erro:

“Service application cannot be deleted due to existing project sites”

Tela1

Solução

Entre no SharePoint 2010 Management Shell e execute a seguinte sequencia de comandos:

Get-SPServiceApplication
$ID_App = Get-SPServiceApplication | ? {$_.Displayname -like "Nome da Aplicação"}
$Colecoes = $ID_App.SiteCollection
$Colecoes
$ID_App.SiteCollection.Remove("22ffa7a9-17f1-4801-b648-cc7e1dbe2183")

O primeiro comando lista todas as aplicações encontradas e entre elas as do PWA. É possivel criar um filtro para o like, similar ao segundo comando. Ou se você já conhece o nome da aplicações coloque diretamente na segunda linha.

O segundo comando captura o ID da aplicações e o terceiro utiliza este ID para trazer a lista de Site Collections vinculadas ao PWA.

O quarto comando lista o resultado da variavel $Colecoes para que você posso ler o ID da Site Collection que é inserido no ultimo dos comandos.

Após isso, rode novamente os comandos 3 e 4 até que não retornem mais nenhum Site Collection, apesar de que o PWA costuma ser um unico SC.

Veja abaixo os prints completos, de cada estágio:

Tela2

Tela3

Tela4

Tela5

E não se esqueça que não será deletado os bancos de dados no SQL Server, o que deve ser feito manualmente antes de se criar uma nova aplicação para o servidor de PWA.

Posted: fev 24 2011, 18:02 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Sharepoint | Project Server

Windows Automated Installation Kit (AIK) for Windows 7 SP1

Ontem (18/02/11) foi liberada a nova versão do Windows AIK agora adaptada para incluir o Windows 7 SP1 e Windows 2008 R2 SP1. Para baixá-lo clique aqui Windows AIK.

Muitos se perguntam: Porque é necessário um novo AIK a cada versão do Windows incluindo um Service Pack?

O motivo é que o AIK não é apenas o ImageX mas sim uma coleção de ferramentas que fazem a adaptação da imagem para rodar em distribuição centralizada. Por exemplo, o DISM permite alterar as opções de configuração da maquina ainda na imagem, e como um Service Pack altera opções, como por exemplo, o suporte a RemoteFX e assim por diante, é necessário atualizar a biblioteca de configurações das ferramentas.

O mesmo acontece com o MAK e o VAMT que não reconhecem a versão 6.1.7601 que é o Windows 7 SP1 e ocasionalmente pode não ativar copias “Windows 7 With SP1” ou “Windows 2008 R2 with SP1”.

E principalmente, agora temos um novo WinPE 3.1 (Windows Pre-Environment).

Mas surge outra pergunta: E se eu continuar usando o WAIK anterior?

O problema neste caso é que o WinPE passou da versão 3.0 para 3.1 que não dá suporte aos novos arquivos e chaves de registry adicionadas no Windows 7 SP1, mas haveriam algumas modificações que não estão no WinPE 3.0, como por exemplo, o problema que comentamos anteriormente sobre imagens lentas por causa da mudança no tamanho de cluster dos fabricantes de HD (veja mais em Tamanho de setor em HDDs novos influi em imagens e performance).

Porem, nada impede que continue a usar o WAIK anterior tanto no MDT quanto no System Center Configuration Manager 2007.

Para mais detalhes, o que inclui instalar o novo WAIK no Windows 7 ou Windows 2008 R2 sem o Service Pack 1, leia o Readme em http://technet.microsoft.com/en-us/library/dd349350(WS.10).aspx

 

IMPORTANTE: O novo WAIK ainda não está homologado para rodar no SCCM 2007, então siga o blog do time de System Center e AIK da Microsoft para esta informações

Posted: fev 19 2011, 11:13 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Microsoft IT ShowCase–Exemplos práticos de implementações

Que tal ter numeros prontos para apresentar sobre um produto?

Essa é a intenção deste site do TechNet. O IT ShowCase (http://bit.ly/f4QyKC) é fornecer esta ajuda. Já havia blogado anteriormente sobre os IPDs (Atualizado- Baixe todos os Infrastructure Planning and Design (IPD) guides da Microsoft JUNTOS !) que são documentos de referencia para novas implementações.

Porem a intenção dos documentos no IT ShowCase é fornecer dados balizados para a implementação de um produto, feature ou customização.

Por exemplo, no documento “Manage, Monitor, and Report: Implementing a Power Management Strategy with System Center Configuration Manager 2007 R3” (http://bit.ly/fh8eco) é possivel saber quantos watts e valores (U$) são economizados com a implementação do recurso de gerenciamento de energia pelo SCCM.

Veja a lista de novos documentos, atualizados agora em fevereiro:

Bom proveito e guarde o link principal, sempre há atualizações !!!

Posted: fev 11 2011, 22:29 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login
Marcelo de Moraes Sincic | All posts by msincic
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Utility Point - Uma ferramenta excepcional e pouco conhecida do SQL Server 2008 R2

Desde que peguei o R2 a primeira coisa que testei foi o Utility Point, já que havia ouvido falar dele no TechEd e fiquei intrigado. Ontem quando baixei a versão final vi que ficou muito bom, os seus recursos realmente são essenciais para os DBAs que cuidam de monitoração dos servidores.

Esta ferramenta não é apenas um simples monitor, mas ele se integra a vários servidores e permite que um administrador veja métricas e defina quais são os triggers de monitoração que indicam problemas.

Vou abaixo mostrar uma introdução de como fazer para configurar e utilizar o Utility Point, ou UCP (Utility Control Point):

Passo 1: Mude o View de Object Explorer do Management Studio para Utility Explorer

 

Passo 2: Utilize a opção "Create Utility Control Point" para iniciar o wizard de configuração do servidor que irá fazer o controle

 Passo 3: Tela inicial da configuração do UCP

Passo 4: Na tela seguinte basta indicar os dados do usuário que irá ser utilizado pelo servidor, e pronto. Seu servidor já é o ponto de monitoração.

Passo 5: Vá nos servidores que serão monitorados e seguindo os passos 1 e 2 anteriores utilize a opção "Connect to existing UCP" para criar uma rede de servidores monitorados.

Passo 6: Configure os threshoulds de monitoração na opção "Set Resources Health Policies" 

Pronto !!!! A partir de agora você poderá monitorar os servidores com uma interface agradável e simples, porem com uma funcionalidade que antes somente com o uso do System Center Operations Manager ou outro produto de monitoração era possivel.

Para mais informações acesse: http://msdn.microsoft.com/en-us/library/ee210548(SQL.105).aspx

Posted: abr 30 2010, 12:03 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: SQL Server

Problemas com o driver Intel Graphics Media Integrated HD e o Hyper-V

Esta semana tivemos um problema inusitado. Recebemos novos servidores com Intel Core i3, chipset Intel H55. Seguimos o procedimento padrão, instalamos Windows 2008 R2, Inf Update, driver de video e tudo estava indo bem. A resolução de video alcançava 1920 x 1280 como esperado.

Nossos problemas começaram quando habilitávamos o Hyper-V e reiniciavamos a maquina. A tela aparecia toda embaralhada e depois de alguns minutos tela azul. Fizemos todas as tentativas possiveis e nada resolveu, baixamos a versão de 5 dias atrás do driver e nada.

Ao pesquisar descobrimos que não é recomendado instalar aceleradores de video em maquinas com a função Hyper-V (http://support.microsoft.com/kb/961661) e também que esse mesmo problema de travar quando o acelerador de video e o Hyper-V estão na mesma maquina com outras placas de video, como ATI Radeon e NVidia.

A recomendação e resolução do problema é essa, transcrição literal: "Esse comportamento não ocorrerá quando você usa os vgapnp.sys ou VGA.sys genéricos drivers de vídeo que acompanham o Windows Server 2008. Para reverter para o driver de vídeo genérico, você poderá desinstalar qualquer driver de vídeo específicos do fornecedor de alto desempenho."

Segue uma thread de suporte com um funcionário da Microsoft indicando que o melhor é realmente esquecer o acelerador: http://social.technet.microsoft.com/Forums/en-US/windowsserver2008r2virtualization/thread/155df520-016f-4866-8bb4-1fd526cd6542

Posted: abr 22 2010, 10:37 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Free ebook: Introducing Microsoft SQL Server 2008 R2

Este ebook gratuito não chega a ser tecnicamente profundo, mas tem uma matéria muito boa principalmente para aqueles que já conhecem o SQL Server 2005 ou 2008.

PART I   Database Administration

CHAPTER 1   SQL Server 2008 R2 Editions and Enhancements 3
CHAPTER 2   Multi-Server Administration 21
CHAPTER 3   Data-Tier Applications 41
CHAPTER 4   High Availability and Virtualization Enhancements 63
CHAPTER 5   Consolidation and Monitoring 85

PART II   Business Intelligence Development

CHAPTER 6   Scalable Data Warehousing 109
CHAPTER 7   Master Data Services 125
CHAPTER 8   Complex Event Processing with StreamInsight 145
CHAPTER 9   Reporting Services Enhancements 165
CHAPTER 10   Self-Service Analysis with PowerPivot 189

Link para download: http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=189147

Posted: abr 14 2010, 20:24 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: SQL Server

Avaliação do System Center Data Protection Manager (DPM)

Desde o inicio do ano passado utilizamos o System Center Data Protection na empresa para gerenciar e automaticar processos de backup. E em todas as consultorias que realizamos estamos indicando este produto como sendo o melhor para a linha de servidores Microsoft.

O que o DPM tem que nos cativou?   Quais as vantagens deste produto?  Vou citar as vantagens que mais se destacam em nosso ambiente, porem no site do produto (http://www.microsoft.com/systemcenter/dataprotectionmanager/en/us/top-ten-benefits.aspx) você encontrará mais motivos:

  • O suporte nativo a produtos permite customizar o backup e restore conforme as caracteristicas do produto. Por exemplo, se for Exchange o DPM autormaticamente faz as réplicas do edb e monta os pontos de restauração utilizando os logs. Se o servidor protegido é o SQL ou o Sharepoint o DPM faz a réplica do banco de dados e monta os pontos de restauração utilizando o log do banco. Como estes exemplos mostram, o tráfego de rede é otimizado e a segurança na restauração garantida com menor tempo possivel
  • Backup de VMs do Hyper-V ou Virtual Server 2005 R2 em modo nativo. Ou seja, se você possui uma VM com Sharepoint não precisa ficar fazendo backup da base, pode fazer backup do vhd inteiro, o que garante uma restauração muito mais rápida já que os pontos de restauração são feitos como se fossem um disco diferencial, apenas com as modificações. Recentemente em uma multinacional a qual dou suporte eles apagaram um site do Project Server e voltamos o backup pelo DPM da VM inteira em menos de 15 minutos
  • Eliminação das "janelas de backup", já que os pontos de restauração não são backups full e sim incrementais. No mesmo ambiente que comentei acima o backup impactou tão pouco que não houve queda de performance para os usuários. É claro que os administradores notaram que o tráfego de rede deu um acrescimo de 4% nas medições, mas estava dentro do esperado
  • Simplicidades no agente, tanto na instalação que é automática e pela rede quanto no momento da criação dos grupos de restauração. Muitos programas de backup não oferecem uma interface visual tão simples no momento de criar os grupos de proteção
  • Grupos de proteção híbridos e multiservidores facilitam muito a administração, já que tanto posso criar um grupo de proteção com todos os bancos de dados SQL que estão em vários servidores como tambem criar um grupo de proteção para um servidor com vários serviços ao mesmo tempo
  • O licenciamento é muito simples, se você faz backup de Exchange, Sharepoint ou SQL basta ter a licença Enterprise para cada servidor protegido. Se você faz backup do Windows e pastas utiliza a licença Standard para cada servidor protegido

No uso do dia-a-dia do DPM vemos como ele é simples e funcional. É um produto realmente muito util e simples de gerenciar. Mesmo em pequenos clientes, com 2 servidores, vale a pena, já que em um unico conjunto de backup realizamos as operações com Exchange, SQL, Sharepoint, File Share e System State de forma centralizada. É uma ótima ferramenta para o Windows Small Business, por exemplo.

Se você gostou da avaliação e quer implementar assista os videos em http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Serie-Technet-VideoCast-System-Center-Data-Protection-Manager.aspx

 

Posted: mar 30 2010, 11:20 by msincic | Comentários (1) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Performance de discos externos eSATA x USB 2.0

Em um post do mes passado (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Comprando-direto-da-China-(coisas-que-valem-a-pena-!!!)-Case-HD-e-Adaptador-para-e-Sata.aspx) falei sobre uma loja chinesa que vendia produtos direto para o brasil.

Muitos me mandaram email sobre se realmente a porta eSata é tão boa quanto eu havia comentado no post. Pois bem, em primeiro lugar gostaria de relembrar que eSata é uma saida Sata real e não emulada, portanto igual a que você tem em um desktop e um notebook.

Mas como sempre existem os céticos que dizem "ahhhh, duvido...", segue um gráfico de performance gerado pelo HWInfo32 (http://www.hwinfo.com/index.html) e notem que o disco que utilizei nos testes, um Seagate Sata de 250 GB de 2.5" (notebook) em um case que tem as portas USB e eSata que comentei no post acima.

 Gráfico de Performance do disco utilizando USB 2.0

 Gráfico de Performance do disco utilizando porta eSata (SATA-II)

Como você pode ver, a performance é quase 3 vezes maior de um discos eSata em relação a um USB, de 20.09 MB/s para 75.53 MB/s em leitura sequencial, o que é impressionante, porque o meu disco permanente do notebook tem a leitura de 78.40 MB/s.

Posted: mar 27 2010, 15:35 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Hardware
Login
Marcelo de Moraes Sincic | Dynamics CRM
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Horario de verão gera problemas no Dynamics CRM e Outlook

O horário de verão nos trouxe mais um estranho problema no CRM hoje.

SINTOMA

Ao enviar um email pelo Outlook notamos que a tela piscava e os emails não apareciam na caixa itens enviado do Outlook.

CAUSA

O servidor CRM não estava ligado para automaticamente se ajustar ao horário de verão e com isso ficou atrasado.

O maledeto do plug-in do Outlook não conseguia entender o que estava acontecendo por tratar as mensagens como se fossem mensagens agendadas, futuras.

SOLUÇÃO

Ajustar o horário de verão para modo automático no servidor CRM, executar o net time /set e reiniciar os outlooks nos clientes.

Posted: out 19 2009, 13:35 by msincic | Comentários (1) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Outros | Dynamics CRM

Pane no Exchange 2007 e no Dynamics CRM

Passamos por uma situação inusitada hoje pela manhã. Algo tão simples, mas com sintomas tão diversos que perdemos quase o dia até entender o que estava acontecendo.

SINTOMAS

No Dynamics CRM não estava aparecendo os titulos corretos, por exemplo, ao invés de no pedido aparecer "Pedido 0001 - Cliente Fulano - Produto X" estava "Pedido 0001 - Cliente {8888;;;} - Produto {8888...}", ou seja, nos locais onde deveriam aparecer os dados de relacionamentos apareciam os GUIDs.

Alem disso ao verificar o pedido estava os dados do cliente, mas no cliente não constava o pedido !!!

O outro sintoma foi que no Outlook dos usuários tudo parecia estar normal, mas não estavam recebendo emails. Como existe um plug-in do CRM e este estava se comportando de forma estranha, achamos ser este o problema nos outlooks.

Após tentar de tudo, reindexar tabelas, reiniciar servidor e outras doideiras tive um "estalo". Como temos dois servidores Exchange 2007, um na filial outro na matriz, redirecionando entre si verifiquei o Queue do Exchange da filial e estava a mensagem "451 Connection Dropped - Insuficient Resources on Server" no servidor da matriz.

CAUSA

Não podia ser nada mais simples que isso: O disco SO do Exchange da matriz estava com 300 KB livre. Isso explica o problema que eu encontrei no Queue, a questão de não estarem recebendo email na matriz. Porem, o que o CRM tem a ver com isso?

O CRM utiliza um componente chamado "Email Router" que faz a integração com o Exchange e com os plug-in nos Outlooks. Ao ter problema este componente passou a travar processos do serviço CRM Async e todo o sistema passou a ficar com comportamento instável.

SOLUÇÃO

Limpeza de disco no SO do exchange, reiniciamos o servidor Exchange e logo após o CRM. Tudo voltou a funcionar, os GUIDs desapareceram e ficaram com os dados normalmente, os pedidos aparecem nos clientes e os emails entraram todos de uma vez, mais de 300 até aquele momento.

 

Posted: out 14 2009, 11:50 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login