MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Atualizado: Certificações Microsoft Renovadas–Entenda o que Mudou e Aproveite a Promoção 2x1

Ontem em um anúncio fechado aos Microsoft Learning Partners (CPLS) a Microsoft liberou as novas regras e politicas de certificação.

Algumas eu já havia comentado antes quando surgiu a nova trilha para o SQL Server 2012 em http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Treinamentos-Oficiais-e-Certificacao-para-SQL-Server-2012.aspx.

image

Vamos a um resumo:

  • Retornam os nomes antigos, com a mudança no ultimo acronimo: MCSE = Microsoft Certified Solution Expert, MCSA = Microsoft Certified Solution Associate, MCSD = Microsoft Certified Solution Developer
  • No nivel básico, MCSA não é necessário recertificação, mas nos niveis Expert (MCSE/MCSD) a recertificação é obrigatória a cada 3 anos, ciclo de vida dos produtos Microsoft
  • O MCSA vira uma base com exames comuns a diversas especializações, sendo mais fácil conseguir upgrade

Vantagens do novo modelo:

  • Retorna termos conhecidos do mercado que são de clara hierarquia. O atual termo MCTS (especialista) e MCITP (profissional) não deixavam claro qual era maior entre elas
  • O MCSA se torna base comum, o que não acontece com muitos MCTS atuais que são base para apenas um ou no máximo 2 MCITP exigindo que o candidato tenha que fazer muitos exames
  • Serão poucos MCSA, diferente dos inumeros MCTS atuais. Segundo a Microsoft reduzirá em 85% o numero de certificações

Segue o exemplo da certificação de MCSE Private Cloud, já no novo modelo:

image

image

Para garantir que os exames atuais não sofram uma queda de procura a Microsoft está criando uma promoção onde o candidato fará um dos exames atuais e ganha automaticamente um dos novos exames equivalentes, chamada de 2x1 https://www.bsf01.com/creatives/prometric/Microsoft_TwoForOne/TwoForOne_Home.aspx

image

Atualização em 22/04/2012:

A partir do lançamento das novas certificações passa a já ser visualizado nos transcripts a equivalencia, no caso quem era MCITP Server Administrador passa a ter o MCSA Windows 2008:

image

Lembrando que a validade, ou expiração de uma certificação vale apenas para os “Experts” ou MCSE.

Posted: abr 11 2012, 10:46 by msincic | Comentários (11) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Certificação

Certificação em SQL Server 2012–Saiba o que são os SMEs

Recentemente a Microsoft no site Born To Learn divulgou a disponibilidade dos exames Beta do SQL Server 2012 (http://borntolearn.mslearn.net/btl/b/weblog/archive/2012/03/22/register-for-sql-server-2012-beta-exams.aspx) e anteriormente já havia adiantado algumas mudanças nas certificações que envolvem o SQL Server 2012 (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Treinamentos-Oficiais-e-Certificacao-para-SQL-Server-2012.aspx).

Agora foi anunciado e divulgado as trilhas oficiais para a certificação em SQL Server 2012 em http://www.microsoft.com/learning/en/us/certification/cert-sql-server.aspx#tab2.

É muito interessante conhecer como é feito o processo de elaboração de um exame de certificação.

No site Connect da Microsoft, utilizado para testes de produtos, existem grupos de SME (Subject Matter Expert) em assuntos e produtos, da qual faço parte e outros podem se increver e preenchendo um questionario para qualificação em https://connect.microsoft.com/site862

Quando um novo exame é cogitado recebemos um email com uma pesquisa sobre o que achavamos do exame anterior e pedindo sugestões de melhora nestes exames. Por exemplo, no caso do SQL Server 2012 recebi um email com a pesquisa e pude indicar quais partes do exame achei que poderiam ser alteradas e sugerir novos itens ou até um novo formato.

Já tendo feito parte de um destes grupos posso afirmar que o processo é muito rigoroso e envolve uma pesquisa de mercado onde é visado facilitar um processo de contratação e alocação de um profissional.

Por exemplo, no exame de Windows Server 2008 que foi atualizado para a versão R2 a pouco tempo, os SMEs receberam um exemplo de como seria o simulador e tópicos que seriam abordados. Todos precisaram assumir um compromisso de não divulgação (NDA) o que reflete a preocupação da Microsoft em não vazar as informações.

Portanto, tenha certeza que ao fazer um exame você estará sendo testado no que as empresas procuram e o mercado internacional está exigindo que um profissional saiba fazer. A presença de pessoas de fora da Microsoft escolhidos pelo perfil como SME é a garantia de que um exame reflete o mundo real.

Ainda tem dúvidas, leia o post no Born to Learn http://borntolearn.mslearn.net/btl/b/weblog/archive/2012/02/29/subject-matter-experts-we-want-to-hear-what-you-think.aspx

Posted: abr 02 2012, 11:12 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Certificação | SQL Server

Microsoft Assessment and Deployment Kit–Novo Pacote WAIK

A maioria dos profissionais de TI que utilizam Microsoft já usou o ACT para fazer assessment e inventário de ambientes, MDT para distribuir imagens pela rede utilizando PXE, USMT para fazer a migração de perfis com o LoadState e ScanState e outras funcionalidades que eram distribuidas entre o ACT e o WAIK.

Agora com o lançamento das versões Beta do Windows 8 Client e Server a Microsoft criou o novo WAIK que leva o nome de Microsoft ADK ou Assessment and Deployment Kit.

Como o proprio nome diz a principal alteração foi a unificação das ferramentas em um unico gerenciador de instalação, que antes era dividido em 3 diferentes downloads necessários (ACT, WAIK e SQL Server Express).

A instalação pode ser feita de duas maneiras com o instalador, disponivel no link http://www.microsoft.com/download/en/details.aspx?displaylang=en&id=28997

  1. Instalação online onde baixamos o instalador, escolhemos as ferramentas e o download é feito conforme a necessidade ou
  2. Instalação offline onde baixamos todos os instaladores para um diretório especifico e podemos fazer a instalação sem a necessidade de conexão com internet.

Instalação Online

Esta instalação é boa para ambientes onde iremos instalar uma unica vez com menor uso de link de internet pois a instalação e download ocorre apenas das features selecionadas, como mostra a imagem abaixo:

ADKToolkit

Note que apesar de termos uso de 3,8 GB isso não quer dizer que o download seja total, já que são baixados os instaladores que depois serão expandidos e gerados dados de cada um, mas o uso de link é considerável.

Instalação Offline

A instalação offline é muito melhor para quem irá fazer um download noturno para proceder com a instalação posteriormente e para quem irá utilizar o pacote outras vezes.

A donwload é selecionado na primeira tela do ADK onde escolhemos a opção offline e depois selecionamos o diretório onde será copiados os arquivos baixados, como a imagem abaixo:

ADK Offline

Note que neste caso o espaço necessário representa o total de downloads, já que estamos baixando os arquivos de instalação.

Neste caso foi selecionado todas as ferramentas como na imagem anteriormente mostradas das funcionalidades, mas é possivel escolher apenas as desejadas.

Será criada a estrutura de arquivos abaixo, onde o adksetup.exe é o instalador das funcionalides, como mostra imagen abaixo:

image

Ao chamar o executável de instalação offline será solicitado o diretório onde deverá ser feita a instalação, aceitação do contrato e seleção das funcionalidades a serem instaladas, sendo que já irá estar previamente selecionado os pacotes que foram anteriormente baixados.

Nos próximos dias estarei testando as ferramentas do AIK e postando aqui as novas funcionalidades e usos desta importante ferramenta para migração de Winodws XP para Windows 7.

Posted: mar 26 2012, 10:54 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Vulnerabilidade do Java explorada no Firefox

Ontem fiquei das 23:00 até as 3:00 da manhã para desativar e só hoje consegui resolver definitivamente a infecção que explorou a vulnerabilidade do Java no Firefox (figura 1), sendo que já estou com a versão 11.

Notei que ao entrar no site uma empresa de software legitima, apareceu o ícone do Java e instalou um falso antivírus que não me deixava abrir nem o prompt de comando, gerenciador de tarefas ou outras aplicações.

Alem disso ele desabilitou o McAfee e não permitia acesso para atualização das politicas e DATs por ter desabilitado os serviços, como mostra o gerenciador NAP de conexão a minha rede corporativa (figura 2).

E o pior é que o McAffee só enxergou o trojan (figura 1) depois que eu MANUALMENTE fiz o update do DAT (Daily DAT Update) e já tinha achado o vírus em Modo de Segurança, que é um arquivo com o nome VWTFRZIUZ.exe no diretório TEMP dentro do perfil do usuário.

O motivo é que o JRE 6.0.31 é o Java não vulnerável, mas não atualiza o Firefox que continua com a versão antiga (figura 3) porque o instalador do JRE 6.0.31 não remove o JRE 6.0.30 que é vulnerável, e com os dois instalados a vulnerabilidade continua ativa (figura 4).

Recomendo que vocês façam o que tive que fazer depois de já infectado:

  • Verifiquem qual o JRE que o Firefox de vocês está utilizando
  • Se for anterior ao JRE 6.0.31 removam manualmente o JRE pelo painel de controle do Windows
  • Instalem o JRE 6.0.31 pelo link: http://java.com/en/download/inc/windows_new_xpi.jsp se precisa do Java
  • Desabilite o plugin do Java nos navegadores e habilite apenas nos sites que realmente necessita

clip_image002

Figura 1 – Trojan instalado utilizando a vulnerabilidade do JRE 6.0.1

image

Figura 2 – Antivirus desativado pelo trojan

clip_image006

Figura 3 – Aviso do Firefox de que o JRE 6.0.3 ainda estava instalado

clip_image008

Figura 4 – Coexistencia dos JREs, sendo que o 6.0.3 é o vulnerável

Posted: mar 21 2012, 11:49 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Segurança

SQL Saturday #127–Rio de Janeiro, 14 de Abril

Este evento é uma série que ocorre em diversos paises pelo painel do SQL Pass, e o #127 será no Rio de Janeiro em Abril.

Foi um prazer receber neste final de semana a confirmação da aprovação da minha palestra “Dimensionando Hardware e Storage para SQL Server” pela manhã as 09:15, logo após os keynotes.

Para quem quiser assistir ao evento, que é formado por 3 tracks simultâneas, basta se increver GRATUITAMENTE em http://www.sqlsaturday.com/127/register.aspx antes que as vagas acabem.

Aos que forem ao evento, nos vemos por lá!!!!

Start Time Track 1 - Room: Room 1 Track 2 - Room: Room 2 Track 3 - Room: Room 3
08:00 AM Equipe SQLSat /DevSQL

Pre Event Session 1

Level: Beginner
Equipe SQLSat /DevSQL

Pre Event Session 2

Level: Beginner
Equipe SQLSat /DevSQL

Pre Event Session 3

Level: Beginner
09:00 AM Equipe SQLSat /DevSQL

Keynote

Level: Beginner
Equipe SQLSat /DevSQL

Keynote

Level: Beginner
Equipe SQLSat /DevSQL

Keynote

Level: Beginner
09:15 AM Marcos Freccia

Novas DMV's e DMF's no SQL Server 2012

Level: Intermediate
Marcelo Sincic

Dimensionando Hardware e Storage para SQL Server

Level: Advanced
Fabiano Neves Amorim

DBA CheckList o que analisar?

Level: Intermediate
10:45 AM Coffee Break

Coffee Break

Level: Beginner
Coffee Break

Coffee Break

Level: Beginner
Coffee Break

Coffee Break

Level: Beginner
11:15 AM Mauro Pichiliani

Aplicando processamento paralelo em instruções SQL

Level: Advanced
Diego Nogare

Pontapé inicial de Business Intelligence na Nuvem

Level: Intermediate
Marcelo Fernandes

Criptografia para Banco de Dados no SQL 2008

Level: Beginner
12:45 PM Lunch Break

Lunch Break

Level: Beginner
Lunch Break

Lunch Break

Level: Beginner
Lunch Break

Lunch Break

Level: Beginner
14:15 PM Dennes Torres De Oliveira

SQL Server 2012 : FileTable e Semantic Search

Level: Advanced
Gustavo Aguiar

Algoritmos e alternativas para cargas incrementais

Level: Intermediate
Erickson Ricci

Backup e sua importância na teoria e prática.

Level: Intermediate
15:45 PM Coffee Break

Coffee Break

Level: Beginner
Coffee Break

Coffee Break

Level: Beginner
Coffee Break 1

Coffee Break

Level: Beginner
16:15 PM Nilton Pinheiro

SQL Server 2012: AlwaysOn Availability Groups

Level: Advanced
Felipe Ferreira

Melhores práticas para seu Datawarehouse

Level: Advanced
Socorro Vieira

Testes unitários utilizando T-SQL

Level: Intermediate
17:45 PM Equipe SQLSat /DevSQL

Encerramento

Level: Beginner
Equipe SQLSat /DevSQL

Encerramento

Level: Beginner
Equipe SQLSat /DevSQL

Encerramento

Level: Beginner
Posted: mar 12 2012, 17:23 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: SQL Server | Eventos
Login
Marcelo de Moraes Sincic | All posts tagged 'performance'
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Webcasts MVP IT ShowCast 10/12/2013

Amanhã continuamos com a programação do MVP IT Show Cast com as apresentações da track Cloud & Datacenter onde irei apresentar com o Rafael Bernardes.

A primeira sessão será sobre as opções de rede e storage para datacenters modernos:

image

Increva-se pelo link: https://msevents.microsoft.com/CUI/EventDetail.aspx?EventID=1032572438&Culture=pt-BR&community=0

A segunda apresentação será sobre as novas tecnologias introduzidas pelo Windows Server 2012 R2:

image

Increva-se pelo link: https://msevents.microsoft.com/CUI/EventDetail.aspx?EventID=1032572440&Culture=pt-BR&community=0

Analisando Performance com o Server Performance Advisor 3.0

Neste post irei abordar o uso do SPA, como instalá-lo e quais as informações que retornam para auxiliar o administrador de sistemas.

Esta ferramenta recentemente atualizada para Windows 2012 esta disponivel em http://msdn.microsoft.com/en-us/library/windows/hardware/hh367834.aspx#Download_the_SPA_3_software

Instalação

Ao executar o aplicativo será criada a pasta com os binários e arquivos de configuração do SPA, como a imagem abaixo, onde deverá ser executado o SPAConsole.exe para efetuar a instalação:

13-03-2013 13-30-51

A instalação não cria qualquer banco de dados ou instala SQL Express ou outro, mas apenas instala os binários necessários a execução do aplicativo. Toda a configuração é realizada na primeira execução, ao criar os projetos.

Criando Projetos de Análise

Ao abrir o SPA crie um projeto, o que define o banco de dados para guardar os dados de servidores análisados. Abaixo a tela de configuração do projeto:

13-03-2013 13-31-15

13-03-2013 13-31-46

Na sequencia podemos escolher quais os pacotes que serão analisados, podendo ser Hyper-V, IIS e Windows Server Core:

13-03-2013 13-32-22

Na sequencia definimos os servidores que serão analisados, sendo que pode-se acrescentar ou remover servidores posteriormente, apenas editando o projeto. Note que para cada servidor será criada uma pasta que compartilhada onde o SPA irá gravar dados e utilizar para as métricas:

13-03-2013 13-34-41

13-03-2013 13-35-19

Executando as Análises

O proximo passo é executar as análises, escolhendo os pacotes de monitoração desejados:

13-03-2013 13-35-00

13-03-2013 13-35-08

Durante a execução das análises será mostrado uma tela de acompanhamento, que pode demorar um longo tempo, tanto em virtude do numero de servidores como também a quantidade de dados em cada um dos pacotes de análise selecionado:

13-03-2013 13-35-23

Terminada a execução, vemos um dashboard com os principais dados alertados em cada um dos pacotes de análise desejado:

13-03-2013 13-53-05

Analisando os Dados Coletados

Como pode ser visto na imagem acima, ao lado de cada servidor e pacote analisado é possivel visualizar o relatório individual. São relatórios muito bem apresentáveis e com detalhamento de cada item que foi analisado.

Por exemplo, abaixo vemos o relatório do CoreOS onde temos as notificações de alertas, detalhes da configuração, dados de CPU, memória, disco e rede. Note que as guias de dados contem os detalhes da análise, enquanto a guia de notificações resume os problemas encontrados com sugestões de como resolver o gargalo encontrado:

13-03-2013 13-53-15

Alem da guia de notificações, em cada uma das guias de dados analisados é possivel comparar com análises anteriores no botão Actions >> como o exemplo abaixo onde estariamos comparando relatórios de rede anteriores:

13-03-2013 13-54-34

Outra forma de visualização de dados é utilizando gráficos de performance. Para isso clique no botão ao lado de cada pacote de análise e escolha o periodo que será utilizado para o desenho dos gráficos:

13-03-2013 13-54-54

Muito similar aos dashboards do System Center Operations Manager, o SPA monta gráficos permitindo escolher entre todos os contadores analisados e sumarizados:

13-03-2013 13-55-11

Após selecionar o periodo e os contadores, o gráfico pode ser visualizado como sumário geral, por dia da semana ou horário do dia em cada uma das 3 guias.

13-03-2013 13-56-33

Conclusão

Com este aplicativo simples e funcional é possivel que administradores tenham uma visão detalhada da performance dos servidores, comparar com análises anteriores após fazer as correções e atualizações, e por fim apresentar dados de forma consistente quando necessário justificar investimentos na área de TI.

Posted: abr 10 2013, 22:36 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Tamanho de setor em HDDs novos influi em imagens e performance

Hoje recebi um email da HP referente ao meu notebook que informa a necessidade de incluir nas imagens um KB da Microsoft ou então mudar a formatação mesmo em Linux!!!

O documento está anexado no post, mas a explicação é, no minimo, intrigante. Eu fiquei impressionado de saber que não foi divulgado que este problema existe de forma mais extensiva e não foi disponibilizado no Windows Update.

O problema é que a industria de HDDs mudou o tamanho dos setores de 512 bytes para 4 Kbytes e simplesmente não avisou os fabricantes que otimizam o chipset e BIOS para trabalhar com blocos de 512 bytes, o que pode gerar uma lentidão de absurdos 300% na performance, principalmente do Windows XP ou SOs mais novos quando instalados por imagem.

Vale a pena ler, mesmo que você não tenha um equipamento da HP já que o KB982018 http://support.microsoft.com/kb/982018 se aplica a qualquer equipamento.

HP White Paper 4kb sector.pdf (454,56 kb)

Posted: dez 24 2010, 12:02 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Hardware | Windows

Microsoft Performance Guidelines

A Microsoft possui uma lista de documentos contendo interessantes dicas e customizações que podem ser realizadas para melhorar ou tirar a máxima performance dos seus sistemas operacionais.

Por exemplo, o documento Performance Tuning Guidelines for Windows Server 2008 R2 contem mais de 90 páginas com dicas e indicações de compras e tecnologias para Hyper-V, files servers, database servers, SAP, etc. Elas valem tanto para Windows 7 quanto Windows 2008 R2.

Além deste documento para quem utiliza o Windows Vista ou Windows 2008 (sem o R2) utilize o documento Performance Tuning Guidelines for Windows Server 2008 que contem mais de 80 páginas com o mesmo teor do anterior.

Para conhecer todos os documentos acesse http://www.microsoft.com/whdc/system/sysperf/default.mspx.

Posted: ago 30 2010, 00:16 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Windows 7 | Windows 2008

Performance de discos externos eSATA x USB 2.0

Em um post do mes passado (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Comprando-direto-da-China-(coisas-que-valem-a-pena-!!!)-Case-HD-e-Adaptador-para-e-Sata.aspx) falei sobre uma loja chinesa que vendia produtos direto para o brasil.

Muitos me mandaram email sobre se realmente a porta eSata é tão boa quanto eu havia comentado no post. Pois bem, em primeiro lugar gostaria de relembrar que eSata é uma saida Sata real e não emulada, portanto igual a que você tem em um desktop e um notebook.

Mas como sempre existem os céticos que dizem "ahhhh, duvido...", segue um gráfico de performance gerado pelo HWInfo32 (http://www.hwinfo.com/index.html) e notem que o disco que utilizei nos testes, um Seagate Sata de 250 GB de 2.5" (notebook) em um case que tem as portas USB e eSata que comentei no post acima.

 Gráfico de Performance do disco utilizando USB 2.0

 Gráfico de Performance do disco utilizando porta eSata (SATA-II)

Como você pode ver, a performance é quase 3 vezes maior de um discos eSata em relação a um USB, de 20.09 MB/s para 75.53 MB/s em leitura sequencial, o que é impressionante, porque o meu disco permanente do notebook tem a leitura de 78.40 MB/s.

Posted: mar 27 2010, 15:35 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Hardware
Login