MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Assinatura TechNet: 28% de desconto (U$ 250). Vale a pena?

A Microsoft mais uma vez disponibilizou o código para desconto na assinatura Plus Direct do TechNet, que normal custa U$ 349 e com os 28% vai para U$ 251 com o uso do código TNITE06.

Já recomendei isso a alunos, amigos, estudantes e mesmo empresas: ASSINEM O TECHNET !!!!!!

O motivo é que o TechNet é a maior biblioteca de softwares que vc possa imaginar. Não são apenas produtos Beta mas sim produtos completos. Alem disso contem as versões anteriores, incluindo Win 3.1, Office 95, etc. Todos são licenças full com seriais válidas para ativação pelo periodo da sua assinatura. Um detalhe importante é que as chaves tem que ser ativadas no ano, mas após ativadas não ficam inválidas.

É claro que a assinatura do TechNet não é para usar em ambiente de produção, mas para efeito de avaliação é ótimo. Por exemplo, eu tenho o Windows 2008 R2 no meu desktop de casa e Windows 7 Ultimate no meu note, nas duas maquinas tenho SQL Server 2008 e Office 2007 (agora o 2010 Beta). Nas minhas maquinas virtuais tenho Windows 7 Ultimate, Windows 2008 R2, Windows 2003 Enterprise, Exchange 2010, familia System Center e Sharepoint e vários outros produtos. TODOS ATIVADOS !!!!!

Ou seja, se vc tem um laboratório ou um ambiente de testes, mesmo que com maquinas virtuais, o TechNet vai te ajudar muito. Eu tenho a assinatura a 5 anos e não deixaria de ter por nada neste mundo, principalmente levando em conta que só as licenças que uso no meu note e no desktop de casa já seriam mais de U$ 5 mil.

Clique neste endereço e siga as instruções: http://blogs.technet.com/keithcombs/archive/2010/01/24/new-technet-subscription-28-discount-with-promo-code-tnite06.aspx.

Importante: Lembre-se de ter um cartão internacional nas mãos, se não tem e quer pagar em reais, entre pelo link http://technet.microsoft.com/pt-br/subscriptions/renew.aspx que é no Brasil, mas lembre-se que neste caso o desconto não é valido e vc terá que pagar o valor cheio de R$ 601.

Posted: jan 27 2010, 09:28 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Outros

Downloads Uteis: Exchange 2010 Mailbox Calculator e MOF 4.0

Dois downloads me chamaram atenção nos ultimos dias e ao baixar achei bem interessantes e recomendo !!!

O primeiro deles foi divulgado no site do time do Exchange (http://msexchangeteam.com/archive/2009/11/09/453117.aspx) e é o Exchange 2010 Mailbox Server Role Requirements Calculator. No link acima tem as instruções como utilizar e preencher os dados. Eu anexei neste post para facilitar o download:

 Exchange 2010 Calculator 3.2.xlsx (333,47 kb)

O segundo é a nova especificação do MOF 4.0 em (http://technet.microsoft.com/en-us/solutionaccelerators/dd320379.aspx). Para quem não conhece o MOF, são as especificações que a Microsoft promove do modelo de gerenciamento de operações chamado de Microsoft Operations Framework. É muito similar ao ITIL, mas prático. Muitos quando fazem treinamento de ITIL sentem a falta de um material prático para utilizar, e estes documentos são exatamente isso. Para fazer o download direto, o arquivo era muito grande, clique aqui:

http://download.microsoft.com/download/6/5/8/658bc1e9-e262-45ca-bb6e-e87c058bbd37/microsoft%20operations%20framework%204.zip.

Posted: jan 25 2010, 10:02 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Novidades do System Center Configuration Manager 2007: Novidades no R3 e International Client Pack para o SP2

Após o lançamento do SP2 do SCCM 2007 http://www.marcelosincic.com.br/Blog/post/Liberado-o-SP2-do-System-Center-Configuration-Manager-(SCCM).aspx já era esperado o pacote de clientes internacionais, o que inclui o cliente para o SCCM 2007 SP2 em portugues.

Agora ele está disponivel e para baixá-lo clique no link http://www.microsoft.com/downloads/details.aspx?familyid=4C8FA7D6-1671-4D76-860B-195B16C214A8&displaylang=en.

Quanto ao R3 que deve ter o Beta 1 liberado ainda este trimestre, no blog dos engenheiros do produto já podem ser visto os novos recursos.

O primeiro destes blogs é do Juntin Gao (http://blogs.technet.com/justin_gao/archive/2010/01/19/what-s-new-in-configmgr07-r3.aspx) e ele lista todas as funcionalidades que estão sendo implementadas no R3. Já no TechNet Edge pode-se assistir a um video do Jeff Wettlaufer (http://edge.technet.com/Media/OS-Deployment-Features-of-Configuration-Manager-R3/) com a demonstração e explicação de um dos principais recursos do R3, que é o "prestaged media".

Este novo recurso é muito interessante, porque vc pode criar uma mídia com o boot e a imagem (formato WIM) que deverá ser instalado na maquina. Ao ligar a maquina pela primeira vez o gerenciador irá procurar na rede o Task Sequence criado para aquela imagem, executar as tarefas e aplicar a imagem que já está copiado na maquina localmente. A intenção é diminuir o tráfego de rede em maquinas novas.

Este recurso será muito util, por exemplo, para empresas que comprarem lotes de maquinas novas (bare metal) e enviam esta midia para o fabricante, que irá copiá-lo em todas as maquinas. Quando as maquinas forem instaladas na rede irão se conectar por PXE no servidor SCCM, ler o Task Sequence, executar as tarefas e aplicar a imagem que está copiada. Voilá !!!!!

Outro recurso interessante no R3 é o gerenciamento de energia que poderá ser configurado diretamente pelo SCCM. Na minha humilde opinião esse não seria um item que fazia falta porque já utilizávamos GPO do AD para isso, mas agora poderá ser feito pelo SCCM. Porem, os relatório que estão incluidos na versão R3 são muito bons, vale a pena ver (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Green-IT-no-System-Center-Configuration-Manager-R3-Power-Management.aspx).

Vamos esperar até o anuncio do Beta 1 para poder testar e entender melhor as mudanças !!!!

Posted: jan 21 2010, 14:39 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: System Center

Community Webcast: Utilizando dados do SQL em formulários do InfoPath2010 e SharePoint 2010

Para quem perdeu este webcast clique no link abaixo e poderá baixar a versão gravada !!!

Como prometi no SQL Server Saturday Night (http://www.marcelosincic.com.br/Blog/post/2o-SQL-Server-Day-SQL-Server-Saturday-Nigth-Integrando-dados-do-SQL-no-Sharepoint-2007.aspx) segue abaixo o link para a palestra de uso de formulários para manipulação de dados do SQL Server 2008 diretamente no Sharepoint, utilizando o InfoPath, já nas versões 2010 Beta.

INFORMAÇÃO IMPORTANTE: Vou utilizar o Sharepoint 2010 e o InfoPath 2010, mas o uso com o Sharepoint 2007 e InfoPath 2007 é similar.

Link para inscrição: https://msevents.microsoft.com/CUI/EventDetail.aspx?EventID=1032440625&culture=pt-br

Idioma(s): Português.
Produto(s): Microsoft Office InfoPath,Microsoft SQL Server.
Público(s): Dev/Programador Pro,Generalista de TI.
   
   
Duração: 60 Minutos
Data de Início:
sábado, 20 de fevereiro de 2010 17:00 Brasília
 
 

Visão Geral do Evento

Utilizando dados do SQL em formulários do InfoPath2010 e SharePoint 2010

O Sharepoint 2010 integra as funções de gerenciamento de formulários que na versão 2007 era um componente instalado separadamente. Abordaremos como fazer para formulários criados no InfoPath 2010 acessarem dados do SQL Server 2008 por meio de Web Services. Veremos como receber dados e enviar dados para web services utilizando os formulários, possibilitanto integração real entre dados online e o SharePoint. Importante: Os mesmos conceitos poderão ser utilizados no SharePoint 2007 (com o Office Forms) e InfoPath 2007.
x
Palestrante: Marcelo Sincic, Desenvolvedor desde 1989 com Clipper S’87 e Dbase III rodando em Novell 2.0, atualmente é Certificado Microsoft como MCITP, MCTS, MCPD, MCSA, MCDBA, MCAD e MCT, pela IBM como CLP Domino 6.5 e pela SUN como Java Trainer. Possui certificação em Sharepoint, Windows 7, Windows 2008 e SQL Server 2008, estando entre os primeiros no mundo a obterem as certificações MCTS e MCITP para Windows 7 com o titulo Charter Member. Atualmente presta consultoria e atua como instrutor .NET e plataforma Microsoft, mas é. Perfil completo em
http://www.marcelosincic.eti.br/blog/page/Sobre-o-Autor.aspx

Este é um evento realizado pela COMUNIDADE TÉCNICA com o apoio da MICROSOFT.

Posted: jan 20 2010, 11:18 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Sharepoint | SQL Server

Novidades do Sharepoint 2010 e do Sharepoint Designer 2010

Neste post irei abordar o que achei de interessante logo de cara ao instalar o Sharepoint 2010 e o Sharepoint Designer 2010. Se vc deseja saber sobre a instalação, veja o post anterior (http://www.marcelosincic.com.br/Blog/post/Instalacao-do-Sharepoint-2010-no-Windows-2008-R2.aspx).

Segue as minhas primeiras impressões com o Sharepoint 2010:

  1. Quanto ao design, muito legal terem incorporado o conceito de Ribbon do Office 2007 em todas as telas do Sharepoint.
  2. Quando vc entra em modo de edição de páginas o layout ficou bem mais "livre" com possibilidades de acrescentar mais locais de webparts, já que está era uma reclamação de design quanto aos locais onde as webparts podiam ser colocadas e era necessário fazer malabarismo para conseguir diagramar bem um site.
  3. A ferramenta de configuração e gerenciamento ficaram menos "caminho de rato". Eu sempre comentava em treinamentos que no Sharepoint 2007 tudo era configurável, mas achar onde ficava o item era um tormento, um teste de paciencia, isso quando não era necessário ligar em um lugar, ir para outro e as vezes no site para ativar ou configurar. Agora as telas de configuração ficaram mais organizadas, com categorias e indicações claras com links para configurar itens relacionados, então não preciso ficar me lembrando algo do tipo "liguei aqui agora vou ali e faço isso", já que no primeiro item ele já tem um link para o segundo e assim por diante.

Bem, mas o que mais me impressionou foi a ferramenta Sharepoint Designer 2010. Ficou muito diferente e muito melhor de ser utilizada, pode-se dizer que não precisamos mais do "Site Settings" em quase todos os casos. Isso demonstra bem o que a Microsoft disse no ano passado quando falou que o próximo desafio para a equipe de desenvolvimento era facilitar os processos de customização e desenvolvimento.

Seguem algumas telas. A primeira é a nova interface inicial. Note que agora todos os recursos estão ali, inclusive segurança e um dashboard indicando diversos dados relativo ao item selecionado na árvore de objetos. Notem os botões na barra com opções de preview, lixeira, opções do site e outras. Note tambem as caixas com subsites, customizações e settings:

 

Um recurso que passava desapercebido mas agora ficou evidente a falta dele na versão anterior são as tabs, veja abaixo:

 

A seguir coloquei um printscreen do menu lateral e note como ele tem itens que antes apenas no "Site Settings" era psosivel alterar, como os content types, data sources e Master pages: 

Por ultimo anexei um printscreen da tela com uma lista selecionada, e mais uma vez veja que todos os itens e configurações estão lá:

 

Resumindo: Parabens equipe do Sharepoint Designer 2010, vcs fizeram um trabalho excepcional !!!!

Posted: jan 20 2010, 10:23 by msincic | Comentários (4) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Office | Sharepoint
Login
Marcelo de Moraes Sincic | Embate entre IT PROs e desenvolvedores, como melhorar o relacionamento?
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Embate entre IT PROs e desenvolvedores, como melhorar o relacionamento?


No Community Zone que ocorreu na semana passada estávamos conversando em uma mesa, não vou citar os nomes porque não lembro todos e seria injusto, e chegamos no assunto acima. De um lado da mesa tinhamos alguns IT PROs e do alguns desenvolvedores. Os desenvolvedores já logo criticam o pessoal de Infra pela dificuldade que eles impõe e sempre jogam a culpa nos sistemas e programadores.

Eu atuo nas duas áreas desde que comecei a trabalhar em 1988. Neste época sistema operacional era CPM, rede era multiplexada serial, linguagem era Dbase II que já era o banco de dados também. Desde então tento manter os dois universos, estudo tanto os produtos de rede quanto as linguagem de programação. Posso dizer que está ficando dificil, os produtos se tornaram muito complexos, mas ainda consigo me organizar por estudar a fundo um por vez focando nas mudanças.

Mas enfim, a idéia do post é falar da experiencia de quem a um bom tempo convive nos dois mundos.

O que os desenvolvedores fazem para serem “odiados”?

O principal problema dos profissionais de redes é conseguir monitorar as aplicações. Os desenvolvedores não se interessam muito em como os IT PROs trabalham e não dão os recursos necessários para eles. Algumas coisas simples como métricas, logs e identificação clara de processos já resolveriam muitas discussões.

O que podemos fazer como desenvolvedores para trazer a paz?

Alguns exemplos de recursos que poderiam ser facilmente utilizados pelos desenvolvedores:

  • Na string de conexão com o banco de dados inclua o parametro Application Name para o DBA poder monitorar a aplicação. É um parametro muito simples e extremamente necessário, porque em aplicações é comum utilizar usuários fixos para aplicações e sem o nome não é possivel saber qual sistema está executando aquele comando que gerou locks ou wait times excessivos. Um exemplo de uma string de conexão “bem feita” seria:
    ”Provider=SQLServerOleDB;Server=ABC;Database=DEF;UID=Joao;PWD=1234;Application Name=SISContabil
  • Inclua nos seus aplicativos contadores de performance utilizando os objetos PerformanceCounter e Installer. Estes objetos geram no Performance Monitor do Windows dados que podem ser transformados em gráficos, traces, alertas e logs. O processo para criar um contador é muito simples:
    1. Insira o objeto PerformanceCounter em sua aplicação
    2. Configure o objeto criando uma categoria (CategoryName) e contador (CounterName)
    3. Clique com o botão direito no objeto e escolha Add Installer para que sua aplicaçoes crie no registry do Windows os registros do contador
    4. No seu código ao acessar um banco de dados, por exemplo, utilize o objeto PerformanceCounter com o método Increment para aumentar o valor do contador
  • Gere erros ou alertas de problemas no log de eventos do Windows. Este recurso permitirá aos operadores vasculhar no Event Viewer do Windows problemas que estão ocasionando paradas. Tão útil é este recurso que os IT PROs poderão utilizar produtos como o System Center Operations Manager, NetIQ ou Tivolli para quando um evento acontecer disparar emails de alerta para os administratores, ou melhor ainda, executar scripts que automaticamente resolvem o problema.
    Para fazer isso basta seguir os passos:
    1. Acrescente ao seu aplicativo o objeto EventLog
    2. Defina o nome do Log (Log) que será criado e o nome da aplicação (Source)
    3. Dentro do seu aplicativo utilize o método WriteEntry para passar os parametros que serão gravados no log do SO

Estes são 3 exemplo que poderão ser utilizados e resolverão muitos dos problemas que hoje existem entre estes grupos. Claro que os exemplos estão baseados em aplicações Windows Forms, mas os mesmos objetos podem ser utilizados programaticamente no ASP.NET.

Para que os desenvolvedores tenham uma idéia do porque é importante os passos acima, pense que o IT PRO trabalha com resolução de problemas baseados em comportamento de sintoma-causa-solução e sem contadores de performance e eventos não tem como achar a causa sobrando apenas culpar o programador que “andou mexendo no servidor”.

Outro recurso muito importante que os passos acima possibilitam é criar o Baseline onde os IT PROs tem uma base de alterações no ambiente. Por exemplo, fazem a medição de contadores ao longo de um periodo e quando o servidor apresenta problemas de performance eles comparam os contadores atuais com os de base para descobrir onde estão as variações. Se o desenvolvedor não dá as medições o IT PRO irá verificar os contadores e como nenhum demonstrará o problema, mais um vez o “programador que mexeu aqui” é o culpado.

Outra forma de monitoração com produtos que já foram citados são os Dashboards do SCOM que mostram em grandes monitores o estado de cada servidor por monitorar os eventos no log e o baseline de performance. Se a aplicação não gera nem log nem contadores, o servidor não irá apresentar o erro, resumindo a dizer que o IIS ou o SQL está com tempo de resposta lento quando o problema já se alastrou para todos os subsistemas (disco, processador e memória).

É isso ai, como programador também me incluo entre os que deixam de prover as ferramentas. Mas vamos mudar isso !!!!!

Se alguem lembra de outros métodos para “pacificar” essa apimentada relação, comente.

Posted: set 24 2010, 18:42 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Outros | Visual Studio | Windows
Os comentários estão fechados
Login