MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews 2017: 3164331
Pageviews 2016: 3991973
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Microsoft Virtual Machine Converter (MVMC)–Retirada do Produto

A Microsoft anunciou esta semana a retirada do MVMC como produto já no final deste ano.

https://blogs.technet.microsoft.com/scvmm/2016/06/04/important-update-regarding-microsoft-virtual-machine-converter-mvmc/

Para quem não conhece o MVMC ou não lembra sua função, ele é um plugin para converter maquinas fisicas (P2V) ou virtuais de outras plataformas (V2V) para VMs no Hyper-V.

 

O que usar no lugar do MVMC?

A sugestão apresentada é utilizar o Azure Recovery Site, mas ele na verdade é um serviço e não seria útil quando o desejo é subir VMs em ambiente on-premisse.

Porem, no caso do cliente que quer transformar o ambiente fisico (P2V) para nuvem (IaaS) o Azure Recovery Site é a melhor opção.

E para quem precisa fazer V2V hospedadas no VMWare para o Hyper-V pode utilizar o próprio VMM (System Center Virtual Machine Manager) que processa a conversão nativamente.

Por fim, para os casos de conversão de maquinas fisicas para virtuais (P2V) pode-se usar o Disk2VHD como já comentado em outras ocasiões e é um produto muito conhecido para gerar VHDs a partir de discos fisicos, que abordei em 2009: http://www.marcelosincic.com.br/post/Ferramenta-para-converter-HD-fisico-(em-uso)-para-VHD.aspx

Link do Disk2VHD: https://technet.microsoft.com/en-us/sysinternals/ee656415.aspx

Instalando e Utilizando o VMM Network Builder

Esta nova ferramenta criada pelo time de produtos do VMM (Anjay Ajodha e Matt McGlynn) disponibiliza um ambiente gráfico para criação de redes virtuais com o System Center Virtual Machine Manager 2012 R2.

Download: http://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=43975

Instalação

Após fazer o download do instalador, que é muito simples de ser utilizado, será criado um arquivo zip no desktop que deverá ser importado pelo console do VMM:

SNAG-0000

Não é necessário fazer a extração do arquivo XML dentro do zip, basta ir no console do VMM em Settings –> Console Add-ins e importar o wizard indicando o zip criado pelo instalador:

 SNAG-0002

 SNAG-0005

Utilizando o VMM Network Builder

O passo seguinte é utilizar o Network Builder, e é muito simples, podendo ser feito no menu Fabric –> Networking ou pelo botão Build Network na barra de tarefas:

image

Neste momento será possível ver a inicialização do wizard, onde ele irá procurar o servidor e validar os dados existentes para a criação de uma nova rede virtual:

SNAG-0007

A primeira configuração que o administrador precisa definir é se esta nova rede virtual deverá ter segregação de tráfego administrativo e de dados, o que normalmente não criamos a cada nova rede virtual. Mas se o seu design for para redes segregadas (NVGRE ou outra) valerá a pena criar a rede de gerenciamento especifica:

SNAG-0008

Observação: A rede criada será chamada de “Management Network”. Se renomeá-la após criada será necessário verificar as dependências com outros objetos.

Defina se os hosts terão placas de rede físicas (NIC) separadas para gerenciamento ou se serão também placas virtuais (vNIC):

SNAG-0009

O passo seguinte é definir o range de IPs que será utilizado para a rede de gerenciamento segregada:

SNAG-0010

Por fim, passamos a definir a rede de dados que as VMs irão receber ao utilizar esta rede virtual, primeiro definindo um nome para esta rede:

SNAG-0011

O próximo passo é a definição do nome da rede virtual, as VLANs (se houver) e o range IPv4 e/ou Ipv6:

SNAG-0012

Observação: O range de IPs de gerenciamento (Management Network) e de dados (Logical Network) não podem estar dentro do mesmo intervalo, no meu caso utilizei os valores apenas como exemplo (veja Dicas no final do artigo)

Verifique se o desenho ficou correto e se deseja que seja criado um script para ser executado nos hosts. Este passo do script é importante, pois o Network Builder não irá alterar os hosts para criar os vSwitches. Sendo assim, solicite que o script seja criado e execute-o nos hosts que utilizarão esta nova rede virtual que está sendo criada. Obviamente que você também poderá criar os vSwitches manualmente em cada host utilizado a interface gráfica:

 SNAG-0013

Dicas

  • Cuidado ao criar as redes lógicas, pois o VMM Network Builder não valida as informações, por exemplo se o range de IPs da rede de gerenciamento for o mesmo da rede de dados ele só acusará o erro na execução dos scripts de criação
  • Cuidado ao renomear objetos após a criação da rede pelo assistente, pois as dependências e o script para o host não irão funcionar, a menos que totalmente verificados e editados

Conclusão

Apesar de muito simples, o VMM Network Builder nos ajuda muito no gerenciamento de redes virtuais, evitando que administradores que estão se familiarizando com a ferramenta esqueçam de alguma configuração.

Administrando Windows Azure com o System Center AppController

Um dos produtos da suite System Center pouco conhecidos é o AppController. Sua função é tornar o uso de ambientes Private Cloud reais, por proporcionar um portal de auto-atendimento simples com uma interface web.

É importante ressaltar que o AppController não é apenas uma atualização do Virtual Machine Manager Self-Portal, pois ele tem as funcionalidades novas do VMM 2012 SP1 como controle de cotas, instânciamento de serviços e integração com o Windows Azure, que será tratado neste post.

Configurando a conta Windows Azure no AppController

O primeiro passo é integrar no AppController a conta do Azure e para isso é necessário primeiro cadastrar um certificado digital no portal do Azure, opção Settings –> Management Certificates onde poderá fazer o upload do certificado:

image

Este certificado é utilizado para autenticar o acesso e pode ser emitido por qualquer IIS na opção Certificates –> Self-Signed e depois fazer a exportações e upload no Azure.

O passo seguinte é cadastrar esta conta do Azure e o certificado no AppController:

Imagem1

Realizados estes passos já será possivel ver a conta no AppController:

Imagem2

Ao clicar na conta do Azure, terá uma lista das VMs criadas no ambiente, com o nome de cada VM, a localização geográfica do Datacenter selecionado e as instâncias criadas:

image

No menu Virtual Machines podemos ver a lista de VMs disponiveis, onde tanto VMs locais (Private Cloud) como as VMs no Azure podem ser administradas de forma integrada:

image

Note que na tela acima temos na parte de baixo dois paineis, o esquerda mostra os dados básicos da VM e na direita o serviço que serviu de origem para esta instância, uma vez que as VMs no Azure podem ser criadas por se fazer o upload de um VHD pronto. No exemplo acima, ao clicar no design vemos detalhes e podemos alterar os dados:

Azure2

Criando VMs no Azure com o AppController

A criação de maquinas virtuais pelo AppController é muito simples e permite um nivel de customização maior que pelo próprio Windows Azure Portal.

A primeira forma de fazer isso e também a mais simples, é no menu Virtual Machines usar o Add:

Azure3

Uma segunda forma é por utilizar a lista de contas ou selecionando na Library a imagem que será utilizada para instanciar a nova maquina virtual, com a opção Deploy:

Imagem4

Imagem8

Será aberta a janela de design para definição dos componentes da VM, como mostrado abaixo:

Imagem5

Note que os links permitem selecionar os itens como a imagem de máquina virtual desejada, a rede e a localização geográfica do Datacenter desejado:

image

image

Conclusão

Utilize o System Center AppController para administrar de forma integrada seus ambiente de Private Cloud e Public Cloud em um único console de forma simples, baseada em serviços e funcional.

Login