MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews 2017: 974219
Pageviews 2016: 3991973
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Novo Azure AD Connect

Na semana passada a Microsoft liberou a nova ferramenta para sincronização de AD local com o Azure AD. Essa nova ferramenta tem as mesmas funcionalidades das anteriores DirSync e ADDSync, mas acrescesta facilidade na administração do serviço e acesso aos conectores.

Para baixar e ver detalhes: https://azure.microsoft.com/en-gb/documentation/articles/active-directory-aadconnect/

1-Resumo

Instalação e Upgrade do Dirsync

Para quem já tem o Dirsync ou o ADDSync instalado o Azure AD Connect irá fazer o upgrade e solicitar apenas a credencial do Azure para configurar, mas após o upgrade é possivel alterar facilmente as configurações.

A sequencia abaixo mostra o upgrade, sendo bem simples pedindo apenas as contas online e on-premisse:

2-Upgrade Dirsync

3-Conect

 4-Conect2

 5-Upgrade

Configuração Pós-Instalação

A interface do Azure AD Connect é realizada com ferramentas gráficas acessiveis pelo Menu Iniciar:

6-Iniciar

A ferramenta que torna mais fácil configurar como comentado no inicio do artigo é o Synchronization Service, onde ao abrir já é possivel ver os conectores habilitados, o estado da sincronização, log das ultimas sincronizações e utilitários na lateral:

7-Sinc Service

Por exemplo, para sincronizar manualmente basta clicar sobre uma das conexões e escolher como quer sincronizar (Connectors –> Run):

8-Sincronizarmanual

Visualização, Atualização e Criação de Conectores

Ao clicar em qualquer um dos conectores abre-se um wizard onde podemos alterar os conectores básicos ou criar novos conectores.

O wizard é muito simples e funcional, como mostram as imagens abaixo utilizando o Properties:

9-Conectores1

10-Conectores2

E para criar novos conectores, ao clicar em Create temos criar os diversos tipos de conectores on-premisse ou online utilizando o wizard das imagens acima.

11-Conectores3

Vale a pena fazer o upgrade para quem tem o Dirsync e o AADSync, pois esta nova ferramenta é muito completa e simples facilitando o acesso aos configurações, alterações e log das operações.

Posted: jun 29 2015, 12:18 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 5/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

EBook gratuito: Microsoft Azure – Fundamentos Essenciais

O lançamento deste livro no inicio deste mês, gratuito em formato digital, traz boas novidades na série de livros sobre o Microsoft Azure: http://blogs.msdn.com/b/microsoft_press/archive/2015/02/03/free-ebook-microsoft-azure-essentials-fundamentals-of-azure.aspx

image

Separado em 7 capítulos de conteúdo técnico do Azure, aborda como criar web sites, VMs, gerenciar storages, redes virtuais, databases, Active Directory. Levando em conta que o livro se destina a fundamentos aborda como iniciar o uso com PaaS (web sites) e IaaS (VM e infra).

O capítulo 8 trata de PowerShell e o capítulo 9 traz alguns exemplos de implementações que podem ser feitas.

image

É um livro simples, mas com conteúdo que poderá ser usado como referencia para os que utilizam o Azure ocasionalmente ou com a ajuda de assistentes.

Lembrando que toda a coleção de livros gratuitos disponibilizados pela Microsoft podem ser encontrados em http://www.microsoftvirtualacademy.com/ebooks

Posted: fev 19 2015, 19:18 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Microsoft Azure – Novo Portal

Para quem ainda não conheceu o novo portal do Windows Azure, pretendo neste post explicar um pouco suas vantagens e funcionalidades, que neste último release do Preview está com praticamente todas as features prontas.

Com certeza ao final você irá alterar o seu atalho de internet para o novo endereço https://portal.azure.com/ como eu fiz hoje!!!

Introdução

No último MVP Summit na Microsoft em Novembro de 2013 fomos apresentados ao novo modelo de interface que a Microsoft estava estudando. Por ocasião da reunião, eu e o Josué Vidal pudemos ver como iria ser as interfaces e opinar a respeito.

A intenção é criar interfaces modulares que avancem sem proibir que o usuário tenha acesso aos itens anteriores de menu. Para isso a cada função selecionada, ao invés da tela ser alterada abre-se a direita um painel com os dados solicitados permitindo que você retorne pela rolagem aos itens abertos, o que facilita muito a operação em tablets e telas de toque.

Utilizando e Customizando o Painel

Ao abrir o novo painel já é possivel ver como ele é interativo. Os blocos abaixo são todos customizaveis, permitindo “pinar” itens, alterar seu tamanho ou localização na tela, similar ao Menu Iniciar do Windows 8:

Portal1

Para incluir novos itens no painel (aplicações ou atalhos), basta utilizar o botão “Browse”:

 Portal2

Os itens selecionados são todos interativos e como visto no primeiro recorte de tela e na introdução, abertos em blocos a direita permitindo utilizar comandos com botão direito (pressionando com tela de toque):

 Portal3

Por fim, podemos customizar a posição do itens no painel principal, alterando seu tamanho ou localização:

 Portal4

Administrando Itens

Até a versão anterior do Preview não era possivel alterar, editar ou criar itens. Apenas era possivel visualizá-los e no caso de VMs nem isso.

Nesta versão já é possivel criar as VMs e editar suas propriedades, de forma muito simples. As imagens abaixo são a rolagem de tela para baixo das propriedades de uma VM:

VM1

VM2

 VM3

Por fim, até mesmo a alteração de tipo de uma VM traz dados muito importantes, diferente do primeiro portal do Azure que só trazia as caracteristicas de CPU e memória, trazendo agora todos os detalhes:

 VM4

Conclusão

Não deixe de utilizar o novo portal. Em algumas situações ele ainda irá solicitar que utilize o portal original, mas são em pouquissimas situações, como por exemplo, configurar o Gateway de rede VPN.

Posted: jul 14 2014, 21:02 by msincic | Comentários (4) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Microsoft Azure (Iaas) Cost Estimator Tool

Ontem a Microsoft liberou uma ferramenta interessante para calculo de custos de migração das maquinas virtuais (a partir do VMM ou ESX) ou fisicas.

A instalação da ferramenta pode ser feita pelo link http://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=43376

Na tela inicial escolhemos se o inventário será pelo VMM, ESX, direto no Hyper-V ou com os IPs de maquinas fisicas. Para cada um dos tipos de inventário ele pedirá os dados do gerenciador (VMM, Hyper-V ou vCenter) ou os IPs de maquinas fisicas.

image

No meu exemplo utilizei maquinas fisicas e selecione pelo tipo (Windows/Linux), o IP, usuário e senha. Podemos incluir até 25 maquinas por ciclo:

image

O passo seguinte é escolher a frequencia com que deseja que a ferramenta faça a pesquisa. Como no meu caso a maquina está ligada não preciso definir recorrencias.

image

Na sequencia a ferramenta irá listar os recursos das maquinas que foram analisadas e indica os dados de inventário qeu são relevantes para a confecção do custo.

image

Finalmente, temos o relatório com os custos estimados para cada Azure VM, podendo escolher qual a região e o perfil de hardware para cada VM escolhida, alem do perfil de preço:

image 

Essa ferramenta é muito útil para permitir que o cliente tenha ideia do investimento que será necessário na migração, utilizando dados reais!

Utilizando IP Fixo em Maquinas Virtuais no Windows Azure

Um novo recurso que se tornou disponivel nas novas versões do PowerShell para o Windows Azure são os comandos “StaticVNetIP”. Você pode baixar a nova versão em http://www.windowsazure.com/pt-br/downloads/#cmd-line-tools

Estes comandos permitem que se fixe o IP dentro do range da rede virtual que você já tenha definido, permitindo assim que consiga garantir o IP de cada VM sem a necessidade de fazer o “Start” na ordem fixa todas as vezes.

Passo 1: Saiba os Riscos e Gerencie Seus IPs

Antes de iniciarmos, é importante ressaltar que não há suporte se houver problemas (http://msdn.microsoft.com/en-us/library/windowsazure/jj156090.aspx#BKMK_IPAddressDNS):

“Use DHCP-leased addresses (this is mandatory — static addresses are NOT supported)

Portanto, antes de começar a designar IPs fixos as suas VMs, lembre de manter uma lista dos IPs definidos!

Além disso, não utilize IPs que não estejam no range da sua rede virtual. Por exemplo, a minha rede tem o range 10.0.1.4 a 254 e se eu fixar o IP 10.0.2.4 a uma VM, ele ficará incomunicável e precisará ser excluida.

image

 

Passo 2: Registrar a Assinatura no PowerSell

Este passo é permanente, e basta executar o comando Add-AzureAccount que irá abrir uma janela de autenticação e importará os dados da sua assinatura:

Capture

Para verificar se importou com sucesso use o comando Get-AzureSubscription que retornará os dados da assinatura registrada:

image

Caso precise remover uma assinatura que tenha utilizado no passado para teste, o comando Remove-AzureSubscription é indicado. Se necessário, precisará redefinir sua assinatura padrão, o comando abaixo redefinirá o default:

image

 

Passo 3: Registre o IP de cada VM

Para registrar os IPs lembre-se do que foi comentado no início, é necessário que eles estejam no range da rede virtual que você tenha definido, senão a VM não poderá mais ser acessada e ficará incomunicável.

O comando que utilizaremos para fixar o IP não trabalha com strings, o primeiro passo é usar o comando Get-AzureVM para retornar em uma variável o PermanentID da VM desejada:

image

O comando acima procura a VM “W2012-Exch-3” no catálogo e retorna o ID, e o comando Set-AzureStaticVNetIP abaixo fixa o IP:

image

Obs: Pode-se usar o “pipe |” para executar os comandos na mesma linha se desejado

Porem, note que o comando acima não foi confirmado, apenas como que simulado. O correto é utilizar o Update-AzureVM na sequência para confirmar a alteração, como um commit.

Sendo assim, a sequencia de comandos para alterar as VMs seria como o exemplo abaixo:

image

Note que neste exemplo 3 diferentes VMs tiveram seus IPs fixados e é possivel com o comando Get-AzureStaticVNetIP consultar se a VM fixou o IP desejado:

image

Por fim, ao verificar o escopo de rede no Azure, pode-se ver que as maquinas reiniciadas receberam o IP que fixamos:

ListaIPs

Posted: mar 11 2014, 00:25 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login